5 de janeiro de 2010

Igreja mundial Vs Gilberto Kassab




Os evangélicos decidiram se mobilizar na TV contra o prefeito Gilberto Kassab (DEM) por causa do fechamento da sede da Igreja Mundial do Poder de Deus, liderada por Valdemiro Santiago.
A sede da igreja, chamada de Grande Templo dos Milagres, funcionava no galpão de uma antiga fábrica na Rua Carneiro Leão, no Brás, com 43 mil metros quadrados. Foi fechada cerca de 10 dias atrás, segundo a prefeitura por falta de alvará, documentação e excesso de barulho. A prefeitura diz que o local não oferece condições de segurança aos fiéis.
Para Santiago auto-intitulado apóstolo, trata-se de perseguição religiosa.
Os evangélicos prometem uma grande marcha até a prefeitura, a ser realizada nos próximos dias. Até líderes de outras igrejas saíram em defesa da Igreja Mundial. O pastor Silas Malafaia, por exemplo, desafiou a prefeitura a ter o mesmo rigor e usar a lei do silêncio com as escolas de samba.
Malafaia instou Santiago a levar “100 mil fiéis” para protestar contra a decisão de Kassab.
Em evento neste domingo, no Canindé, Valdemiro Santiago atacou duramente a gestão Kassab, sem citar seu nome, a quem acusou de perseguição religiosa e de não isonomia de tratamento com outras linhas religiosas.
Os fiscais da suprefeitura da Mooca listaram 45 itens que devem ser alterados na sede da igreja, sem os quais não haverá liberação do alvará.
A Igreja Mundial, de inspiração neopentecostal, nasceu 11 anos atrás de uma dissidência da Igreja Universal do Reino de Deus. a Mundial é hoje um dos maiores fenômenos religiosos em expansão no país. No ano passado, arrendou o canal 21, da Band, além de rádios e outras retransmissoras em todo o país.
Diferentemente da Universal, a Igreja Mundial rejeita a chamada teoria da prosperidade, em que o fiel é estimulado a fazer doações à igreja para obter favores de Deus. A Mundial acredita que tudo –dinheiro, cura, felicidade– é dado a partir da fé do próprio fiel, a quem Deus nada pede em troca.
"Conversão" do Prefeito Kassab em 2008

Pator Silas Malafaia "defende a causa da igreja Mundial do poder de Deus"