16 de fevereiro de 2011

Gloomy Sunday (Domingo Sombrio) A Música Da Morte!!!

Gloomy Sunday (Domingo Sombrio) foi escrita em 1933 pelo pianista e compositor húngaro Rezsõ Seress.




Essa é uma música melancólica, até dizer chega, criada pelo compositor/pianista húngaro, Rezsõ Serss. O nome da canção, é (Glommy Sunday) na sua tradução quer dizer, Domingo Sombrio.

Há relatos, de que, no fim dessa música, existe uma mensagem, que leva, pessoas a cometerem, suicídio. Verdade ou não, a música é horripilante, e sua tradução, mostra que quem a compôs, não estava muito satisfeito, com a vida.

A origem dessa história, começou com o suicídio do próprio Seress, por conta de um desgosto amoroso, ele criou essa canção, e, depois disso, por onde a música passasse, deixava, rastros de suicídios, e até hoje, ela ainda tem um abalo muito forte, para quem as ouve. Nos Estados Unidos, ela era chamada de “Hungarian suicide song” , quando aterrissou por lá em 1936. A canção tornou-se um enorme sucesso.

Quando ouvimos a música, podemos sentir, um certo melancolismo, e nos dá a sensação, de que realmente estamos hipinotizados, com o toque do piano e sua voz meio que fantasmagórica.

Confiram a letra traduzida, dessa música triste, e com uma falta de esperança pela vida, da parte de quem a escreveu.

O vídeo que segue aqui no post, mostra a canção, apartir de 1 minuto e 20 segundos em diante.

O autor da canção Rezsõ Seress, suicidou-se em 1968.


Letra Traduzida:

Gloomy Sunday (Reszô Seress)

É Outono e as folhas estão a cair
Na Terra todo o amor morreu
O vento está a carpir com lágrimas tristes
O meu coração não mais esperará por uma nova primavera
As minhas lágrimas e as minhas mágoas são todas em vão
As pessoas são impiedosas, gananciosas e perversas...

O Amor morreu!

O mundo chegou ao seu termo, a esperança deixou de ter significado
Cidades estão a ser devastadas, o estilhaçar está a fazer música
Prados tingem-se de vermelho com sangue humano
Abundam mortos nas ruas
Direi outra prece silenciosa:
As pessoas são pecadoras, Senhor, elas cometem erros...

O mundo acabou!